terça-feira, 5 de abril de 2011

Igreja de Nossa Senhora do Carmo

Em princípio do século XVIII, foi elevada, no alto do morro que separava os arraiais de Ouro Preto e Antônio Dias, pequena capela dedicada a Santa Quitéria. Nesta capela reuniam-se os irmãos terceiros da ordem do Carmo do Rio de Janeiro, moradores em Vila Rica, que já em 1751 congregam-se em irmandade autônoma. Cogitam então a construção de uma nova capela, cujo risco ficou a cargo do irmão da Ordem, Manoel Francisco Lisboa. A obra tem início em 1756. A parte arquitetônica foi concluída em 1780, sendo a decoração interna iniciado em 1784. A igreja conta com trabalhos de Aleijadinho, seus oficiais e de seu discípulo, Justino Ferreira de Andrade. A planta da igreja é curva na parte da frente. Embora não exista prova documental, sua portada é atribuída ao Aleijadinho. Manoel da Costa Ataíde é autor da pintura e douramento dos retábulos e do risco do altar-mor, que também executa seu douramento. As pinturas dos forros da nave e capela são obras do pintor italiano Ângelo Clerici. Painéis de azulejos, únicos em Minas Gerais, de legítima faiança pombalina, decoram os registros inferiores das paredes da capela-mor, ilustrando temas relativos à iconografia da Ordem do Carmo. Na sacristia há um lavatório com escultura em pedra sabão. O cemitério anexo foi iniciado em 1824, mas concluído somente em 1868. O sobrado e a casa térrea que se vêem ao lado do cemitério são contemporâneos à edificação da igreja.

Rua Brigadeiro Musquera, Centro
Telefone: (31) 3551-2601
Horário de Visitação - Terça a sábado (8:30 - 11:30; 13h - 17h)
Domingo - (13h - 17h)
Valor do Ingresso: R$ 1,00

Ronald Peret

Nenhum comentário:

Postar um comentário